Imigração Italiana - Dupla Cidadania

Imigração Italiana? Dupla Cidadania Italiana? Tudo Sobre!

Você sonha em morar na Itália ou conseguir sua dupla cidadania italiana? Conheça as formas disponíveis para que o seu desejo se realize!

Primeiro passo: a cidadania

Antes de imigrar para Itália, você deve ter em mente que precisará de uma cidadania para viver legalmente no país. A legislação do Brasil permite que seus cidadãos tenham dupla nacionalidade, portanto não existe a necessidade de abandonar suas relações com o país para ser declarado italiano também.

Imigração Italiana - Dupla Cidadania

Confira as formas existentes para obtenção da cidadania italiana, sendo às duas primeiras as principais e que iremos focar nesse texto:

Cidadania por descendência

A forma mais comum de requerimento de cidadania italiana é feita por parentesco com um familiar que possua origem italiana.

Cidadania Italiana por casamento

Cidadania concedida a quem se casa com um cidadão italiano.

Cidadania por residência em território italiano

Essa categoria é específica para quem mora legalmente em solo italiano por um longo período. Por exemplo, refugiados, que depois de 5 anos morando na Itália podem requerer sua cidadania.

Cidadania para menor de idade

Se os pais de uma criança menor de idade se naturalizam italianos, logo a criança entrará nesse formato de cidadania, aplicada também em casos de adoção por famílias da Itália.

Dupla cidadania italiana por descendência

Se você chegou até aqui, é provável que a sua busca tenha como foco obter a cidadania italiana por descendência, a boa notícia é que ela pode ter seu processo aberto por qualquer descendente, independente do grau de parentesco, porém, algumas regras devem ser observadas.

Quem tem direito?

Segundo a lei italiana, filhos de cidadãos italianos nascidos em outros territórios são considerados italianos também, portanto o primeiro passo é descobrir se a alguém na sua família que se enquadra nessa situação, para fazer a cidadania chegar até você.

Buscando por comprovações da descendência

As formas mais fáceis de buscar por essas informações é através do sobrenome ou montando uma árvore genealógica. Com a pesquisa em andamento, é importante anotar todas as etapas conforme as informações vão sendo conseguidas, além de captar o maior número de documentos possíveis de seus antepassados.

Caso você não encontre nenhum documento que comprove sua filiação com a Itália dessa forma, existe a opção de procurar pelas informações nos registros civis.

A partir do seu registro de nascimento e casamento, você seguirá a busca na ordem cronológica, passando para os registros de seus pais e assim por diante, até obter o acesso a um registro que contenha a informação de nascido na Itália.

Quais os documentos necessários?

Os documentos necessários para dar entrada no processo são:

  • Certidões civis brasileiras (nascimento, casamento e óbito);
  • Certidão de nascimento do familiar que nasceu na Itália;
  • Certidão negativa de naturalização.

O último documento merece uma atenção especial, o familiar de origem italiana não pode ter se naturalizado brasileiro antes do nascimento do filho que vai transmitir a cidadania italiana.

Atente-se também a verificação de todos os dados dos documentos, erros como, diferença de grafia no sobrenome são passíveis de exclusão do processo. Além de os dados do ancestral italiano serem compatíveis, o local de nascimento deve ser o mesmo em todas as certidões.

Como iniciar o processo de imigração italiana?

Com os documentos em mãos, você deverá escolher uma forma de iniciar o processo:

No Brasil

Para conseguir a dupla cidadania italiana por motivos como, obter um passaporte europeu, a forma mais indicada é dar entrada no processo em solo brasileiro em um dos consulados italianos espalhados pelo território nacional. O processo até conseguir sua nacionalidade pode levar de 6 a 12 anos, devido principalmente a grande fila de espera, e custo de cerca de 10 mil reais.

Na Itália

Outra forma de obter a cidadania é demonstrando sua pretensão de morar na Itália. O processo é iniciado na prefeitura da cidade em que você pretende morar (Comuni) e para ser elegível o pretendente deve viver no país por um período.

A principal vantagem desse formato é o curto tempo, a estimativa para conseguir a cidadania através desse meio é de 3 meses. Porém, seu principal empecilho é o custo de cerca de 30 mil reais, contando a preparação do processo, passagens, moradia e assistência.

Cidadania italiana por casamento

Existem dois formatos que garantem a cidadania italiana por casamento, sendo elas:

  • Automática: para matrimônios com italianos ocorridos até 27/04/1983, a parte estrangeira envolvida passa a ter sua nacionalidade italiana de forma automática.
  • Naturalização: se o casamento ocorreu após a data mencionada acima, o parceiro que não é italiano deve entrar com um processo para obter a dupla cidadania italiana a partir da apresentação dos seguintes documentos: certidão de nascimento original, certidões de antecedentes criminais da polícia federal e certidão de casamento italiana (a brasileira não será aceita).

Outras formas de imigrar para a Itália

Caso você não seja elegível para obter uma dupla cidadania italiana existem outras formas de fixar residência no país de maneira temporária ou permanente:

Estudando na Itália

Uma das formas mais viáveis de morar na Itália por um período é garantindo sua vaga em algum curso de uma instituição do país. Essa categoria de visto é concedida para intercâmbios, cursos de graduação e pós-graduação e de estudo de idiomas, sendo válido pelo período em que durar o curso.

Trabalhando na Itália

Para conseguir imigração italiana através do trabalho, você deverá ser convidado por alguma empresa. Essa forma de visto não é válida para quem busca por emprego no país, como uma aplicação para uma vaga, sendo estritamente disponível somente para profissionais que a própria empresa tem interesse. O visto para morar na Itália nesse caso é válido pelo período do contrato trabalhista.

Morando como aposentado na Itália

Assim como Portugal, a Itália também está de olho em estrangeiros que queiram passar sua aposentadoria no país, concedendo-lhes condições especiais. Além de menores impostos, o governo concede descontos para interessados em viver em cidades com menos de 20 mil habitantes e na região Sul do território.

Para conseguir morar como aposentado na Itália, você deverá aplicar para o visto tipo D, comprovar que suas fontes de renda são provenientes do exterior e garantir que não vai exercer atividade remunerada no país.

Conheça a Nativo Traduções

Se você decidiu iniciar seu processo para obter a cidadania italiana, conte com a gente para realizar a tradução juramentada de seus documentos para o italiano. A Nativo Traduções conta com profissionais capacitados e regularizados, solicite um orçamento!

Compartilhar esta publicação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *